sábado, setembro 22, 2007

Onde estão essas vozes?

"Um total de 1435 mulheres, 24 por dia, já abortaram desde que a nova lei entrou em vigor, a 15 de Julho."

Fonte: Correio da Manhã

Quem é que dizia que os abortos não seriam a regra em Portugal?! Quem é que dizia que a nova lei não iria ser utilizada por dá cá aquela palha?! Onde estão essas vozes?! Exactamente. Era o que eu pensava.

10 comentários:

caixeiro viajante disse...

Com o devido respeito, a afirmação de que as mulheres portuguesas, após a entrada em vigor da nova lei, abortam por "dá cá aquela palha" é vazia e demagógica.

Tens, porventura, números sobre o período homólogo para comparar se houve um efectivo acréscimo?

Não.

Não te esqueças que os abortos eram feitos, muitas das vezes, para lá das nossas fronteiras ou, em alternativa, em caves clandestinas que, segundo me quer parecer, não entregavam estatísticas dos mesmos ao Ministério da Saúde.

DJ disse...

Baseio-me nos dados que tenho hoje. E o que eles me dizem é que é feito um aborto por hora. Se não achas muito, então espera por daqui a um ano. É que, por enquanto, a "onda" está só a começar.

caixeiro viajante disse...

N�o nos estamos a entender.

O que o teu post insinua � que a nova lei acarretou uma diminui�o de consci�ncia da gravidade do acto de abortar e, consequentemente, um acr�scimo dos seus n�meros.

E essa insinua�o � apenas um "wild guess", um mera convic�o...n�o � palp�vel.

DJ disse...

Ainda que não se saiba exactamente se a consciência da gravidade do acto de abortar diminuiu, o que é certo é que com a média que temos, é-nos possível concluir que essa consciência não existe. Se diminuiu ou aumentou, não interessa. Simplesmente não existe.

caixeiro viajante disse...

Não era esse o sentido do teu post inicial.

De qualquer maneira, penso ser uma conclusão precipitada.

Um abraço!

DJ disse...

Muito honestamente, não achas que a média de um aborto por hora é demasiado?

Pedro Sá disse...

Eu é que não acho mesmo nada. Já chega às pobres coitadas essa decisão horrível.

filipa disse...

eu sei k disse k n ia comentar mais nada...mas como mulher, n posso deixar d dizer alguma coisinha...já pensaste k mtas vezes talvez nem o desejem fazer, mas que efectivamente n tenham outra alternativa? n digo k isto seja a regra geral, pk há por aí mta irresponsabilidade, mas n tomes o todo por igual nesta situação, pois n estarias a ser correcto e mt menos justo...
hj, efectivamente, n posso deixar d concordar c o pedro sá.

DJ disse...

Filipa,

há sempre outra alternativa...

Pedro Sá disse...

Isto muita falta faz o aborto COM EFEITOS RETROACTIVOS...ex tunc, de preferência.