terça-feira, agosto 11, 2009

Ridículo

Uma das propostas eleitorais do PS é o de atribuir 200 euros por cada criança que nasça em Portugal, quantia que será depositada numa conta pessoal do menino(a), conta bancária essa que poderá ser alvo de depósitos, mas que no entanto o valor só poderá ser levantado quando o então jovem completar 18 anos.
Não seio quem foi a mente brilhante que teve esta ideia. Mas ela é de todo ridícula, demagógica e sem qualquer alcance.
Se queremos debater a sério uma política de incentifo à natalidade, nomeadamente através da atribuição de subsídios, temos que perceber uma coisa: a altura em que os pais mais precisam de dinheiro são nos primeiros anos de vida das crianças. É nessa época que se gasta dinheiro em fraldas, roupa, medicamentos, livros escolares, etc. Mais do que nunca, os jovens pais deste Portugal precisam de real apoio aquando do crescimento dos seus filhos. Só quem nunca teve filhos ou irmãos é que não consegue perceber isso.
Daí ser esta medida do PS ser demagógica e propagandística, na linha de tantas outras, que só iria beneficiar as entidades bancárias que depositariam os 200 euros numa das suas contas bancárias.
Ainda assim, clamam os iluminados do PS que esta medida tem também um alcance de "incentivo à poupança futura". Peço desulpa, mas estarão a gozar com as pessoas? Acham mesmo que, tendo o povo português tão pouco dinheiro, que têm alguma capacidade para regularmente depositar quantias avultadas nas contas das crianças?
Dizem ainda que o facto de esta conta poder ser movimentada aos 18 anos serviria para "ajudar os jovens a frequentar o ensino superior". Mais uma vez pergunto: isto é uma brincadeira? Saberão porventura estes senhores que as propinas neste momento já vão em perto dos 1000 euros anuais? E que daqui a 18 anos estarão muito mais altas? Acham mesmo que estes 200 euros dão para ajudar em alguma coisa?
Esta medida representa o PS socrático no seu melhor: propagandístico, ilusório e desfazado da realidade. Coerente com o seu percurso nos últimos 4 anos e meio.
Mas o povo português saberá responder a este conjunto de medidas com sabedoria. Tal como no passado dia 7 de Junho.

3 comentários:

DVS disse...

É interessante perceber que o autor deste post - sem ter noção disso mesmo - acaba por subscrever a política de incentivos à natalidade, da qual a abertura da conta em análise é apenas um item.

Deveria ler o estado da governação do Compromisso Portugal que, para si, deve ser insuspeito.

DSF disse...

Mas quem é que não é a favor de uma política de incentivo à natalidade?

Julgo que não afirmei o contrário no post. Desafio o comentador a vislumbrar uma frase em que eu tenha afirmado que era contra esta política de incentivo. Agora, sou frontalmente contra populismo e demagogia. Aí estou na linha da frente.

Infelizmente o comentador interpretou à sua maneira o conteúdo do post, possivelmente porque não tem resposta a dar ao mesmo sem ter que dizer mal do seu partido, o PS, e isso é coisa jamais fará.

Pedro Sá disse...

EU. Eu sou totalmente contra incentivos à natalidade.

Pela simples razão que eles consubstanciam uma tomada de posição do Estado relativa às opções da vida mais íntima de cada um, o que em meu entender é totalmente inadmissível.