segunda-feira, janeiro 01, 2007

Pior português de 2006

Não, não é a Carolina Salgado! O pior português de 2006 é o POVO português em geral! Continuam com a mesma mentalidadezinha tacanha e ridícula que tanto os caracteriza. Não obstante serem passivos e continuarem à espera que o último feche a porta, ou que alguém faça o que eles deviam fazer, continuam a erigir monumentos de herói e de mártir a criminosos. Em 2005 já tinham feito a gracinha com Fátima Felgueiras, Valentim Loureiro, Isaltino Morais e Ana Cristina Ribeiro. Em 2006 fazem-no com Carolina Salgado.
Subitamente, esta senhora (?) passa de odiada a amada, e de criminosa a mártir arrependida. Com esta brincadeira toda, o seu livro já vai na 10.ª Edição, e ela a lucrar com isto tudo. Numa sociedade normal, num país normal, esta senhora já estava na prisão pelas confissões que faz no livro em que colabora com a obstrução da justiça e é co-autora e cúmplice em um sem número de crimes praticados pelo seu ex-marido. Mas, inevitavelmente, o crime continua a compensar em Portugal. Isto porque ela até se dá ao luxo de ir "conversar" informalmente com o procurador adjunto e de editar um livro. O português, burro como sempre, compra este livro e ainda vai a sessões de autógrafos da mesma, implorando que ela assine o exemplar! A idiotice é tendencialmente maior nos benfiquistas, os quais depois de lhe chamarem dezenas de nomes e depois dos gestos e palavras proferidas pela própria relativamente aos adeptos do Benfica, foram os que mais compraram o seu livro.
Em Portugal, com o povo português, é assim: o criminoso que se desboca e enterra o outro com quem outrora colaborou, sai visto como um santo que ainda passou das boas.
O português continua a gostar de Quinta das Celebridades, novelas e do Goucha e rejeita os programas de cultura geral. Continuam a ter dinheiro para comprar um telemóvel de 500€, mas têm que comprar meias e calças de ganga na feira, porque na loja são "caras". Comem pão com manteiga durante um mês, porque estão a pagar a mensalidade do carro de 30.000€ com todos os extras.
Já para nem sequer falar que a sua passividade leva a que o nosso País continue a ser um tal bolo que alimenta os amigos de quem o Governa, senão vejamos as contínuas e numerosas nomeações para cargos importantes, etc (já sabem a lenga-lenga). O português continua a dizer "alguém devia fazer alguma coisa", e ele é o primeiro a cruzar os braços à espera que alguém se mexa.
O português continua igual a si próprio e a situação deste país, já nem é culpa de quem está no poder, mas sim... do português!

2 comentários:

Phoenix4 disse...

pois, a mesma mentalidade do "na época do Salazar é que era bom". para esses vai o premio de pior portugues de sempre.
o livro vende porque os benfiquistas acham que com isto tiram os campeonatos ao Porto e que o presidente deles é um santo.
porque as pessoas continuam a dar uma importancia mais que exagerada ao futebol e suas gentes.
e porque a justiça é uma mistura de lesma e caranguejo.

Pedro Sá disse...

1. Este post é um insulto gratuito e torpe a todos os Portugueses. Eu sinto-me insultado por quem se acha mais que os outros.

2. Não comprei o livro dessa gaja nem nunca o faria.

3. Vistas bem as coisas nunca vi mais ninguém sem ser eu próprio a defender que a confissão não deveria servir de atenuante, por ser totalmente irrelevante em termos da gravidade dos factos.
Ah, é claro, essas cabeças, crentes ou não, estão cheias de moral católica em cima...

4. Gostar da Quinta das Celebridades, de novelas e do Goucha é tão legítimo como gostar de outra coisa qualquer.

5. Cada um faz o que quer com o seu dinheiro. Qualquer pensamento que vá contra isto é, no mínimo, totalitário.

6. Essa conversa das nomeações dispensa mesmo comentários.